31.10.06

A lua


nua
na rua
não pode ser
um lugar comum
a lua
não é minha
nem é sua
ela vai
aonde
o sol se esconde
fazer eclipses
amantes
lamentando a falta
de postits.

30.10.06

Belíssima

beleza chuchu
beleza
seu pé embaixo
da mesa
meu pé
na sua
sobremesa
beleza tutu
beleza
seu feijão
não se põe
na mesa
saia ilesa
minha mão
não tem
certeza
mas te acerta
em cheio

beleza.

28.10.06

Saudades

sem novidades
a vida passa
como um táxi
vazio
ando macio
como um rio
vacilo
entre o amor
e o humor
sou ferida
sou tumor
ó dia, ó dor
hiena
morto de pena
não tenho idade
só saudade
sem novidade.

25.10.06

Unilateral

a mulher amada
não precisa ser amante
basta ficar distante
anel sem dedo
sem diamante
as mãos vazias
a cabeça fria
o coração
quem te viu
quem te vê
a saudade nua
a paixão crua
sem futuro
só presente
caixa vazia
sem lembrança
só esperança
que o tempo
passe
vire
vá.

22.10.06

Achou

entre os lábios
à frente da língua
antes do beijo
o lugar
onde a poesia
deve estar.

20.10.06

Filhos


sucrilhos
do meu leite
esperanças
desde ontem
ovomaltines
dois copos cheios
saudades
das infâncias
eternidades
duas lembranças
filhos
do meu amor
com todo amor
que a vida alcança.

19.10.06

Vivendo da palavra

eu como
vírgulas
separo
sílabas
chupo
frases
engulo
acentos
arroto
idéias

peido

retórica.

Zagueira

você me dá na canela
joga sujo
apela
pega pesado
xinga
me deixa aleijado
sem perna
e sem coração
mas ainda meto
a bola
entre suas pernas
entro na área
e faço gol.

18.10.06

Sonrisal

a dor faz poesia
odor faz maresia
a flor faz todo dia
parecer
melodia
bem que eu podia
perecer
meio-dia
o sol subia
você descia
eu sabia
que a vida
é doce
mas quem diria
que me daria
azia.

17.10.06

Questão de princípios

medo
o princípio de tudo
tudo que não sabemos
tudo que não fizemos
porque não deu tempo
de botar um acento
na sílaba certa
a vida é esperta
a rua é estreita
e nos espreita
na próxima esquina
que sina
morrer de medo e segredo
com a alma inquilina.