31.1.07

Acessório

quero ser pente
só para percorrer
seus cabelos

quero ser brinco
só para ouvir
seus segredos

quero ser batom
só para brilhar
nos seus beijos

quero ser colar
só para arfar
seus desejos

quero ser cinto
só para sentir
seus movimentos

quero ser salto
só para seguir
seus passos

e ver se um dia viro roupa íntima
do seu coração.

29.1.07

Velhice

"A velhice é um estado de espírito que, com o passar dos anos, infelizmente se manifesta no corpo"

(minha)

dói aqui
dói acolá
pra não doer
é preciso se cuidar

como assim?

eu que sempre cuidei de tudo
e todos
agora ainda vou ter
que cuidar de mim?

ó pesado fardo!
ó nefasto destino!
ó que mesmo que eu estava falando...?

esqueço que envelheço
esqueci o que perdi
esquecerei o que não mereço

porque vivo sem endereço
só quero chegar
ao lugar
onde
morri.

26.1.07

Killing me softly

with his song
como bola de ping-pong
pra lá e pra cá
como um joão
sem garrincha
como um bem
sem te vi

as palavras podem matar

o tédio
o assédio
o ascensorista daquele prédio
na avenida paulista

quero te perder de vista
sem deixar pista
não insista

eu não te ouço

porque você quer
just kill me
whit your songs

vou criar uma ong
só pra dizer
so long

roberta flack.

23.1.07

Traumas de infância

sorvete que cai
balão que voa
vitamina mista
meia de presente
professora feia
gripe no passeio
medalha de participação
regular na redação

o primeiro sim
o primeiro não

a infância é boa
mas só quando
termina.

20.1.07

Rio


rimos porque somos cariocas
rimos mesmo que soe hipócrita
rimos quando olhamos em volta

sua natural beleza
sua eventual tristeza
sua perimetral nobreza

rio
rimos
porque nunca está
sozinho
quem tem o mar
como vizinho
e a alegria
no meio do caminho.

18.1.07

Janela


vejo a vida quadrada
emoldurada
quase parada
mas ela passa
vendendo amendoim
diz que não
diz que sim
acho engraçado
que haja um compasso
que persista um ritmo
que se busque formato

onde não há.

15.1.07

Solteiros

somos todos nós
solitários
desatando nós
que a vida dá

solteiros
soltamos a voz
saltamos dos ônibus
embarcamos em cada uma

sozinhos
falamos com vizinhos
visitamos a vida
recebemos visitas

mas não há de ser nada
sozinhos chegamos
sozinhos nós vamos
até a próxima

entrada.

11.1.07

Casais

casais são lindos

sempre iguais

beijam demais
não são simples mortais
registram a felicidade
em flashs digitais

e mais

sem danos morais
inventam a eternidade
nos mínimos

ais

ai como eu te amo
ai como eu te quero
ai como eu te espero

e é tudo sincero
e é tudo que importa

e é tudo.

7.1.07

Caramalhada

tua cara malha
teu corpo rolha
seu ser olha
quero ser folha

leve

sem peso e sem juízo
breve
te vejo sem aviso
reze
pra não ter compromisso
isso

foi o que te ensinei
nisso
sou bom no que não sei
gasto
os dias como um maço
de notas

de um.

3.1.07

Esperando


o azar do pessimista
é que todo dia
nasce uma esperança

aqui ou no japão

um sorriso inesperado
um gesto de perdão
uma flor no meio da pedra
uma visita no portão

uma alegria na miséria
um real no bolso da imaginação
uma solução na controvérsia
um sonho sob o colchão


o azar do pessimista
é que todo dia

nasce uma criança

bem lá no fundo
naquele lugar do mundo

dentro de cada um de nós.