26.11.07

Nervoso

tenho os nervos
pinçados
de caso
pensado
perco a calma
que nunca tive

tenho as normas
pensadas
de tranças
cruzado
pinço a alma
que nunca vive

há coisas que estão me matando
há seres que vão me mantendo
há métodos que não levam

a nada

e tudo bem.

20.11.07

Zumbi

liberdade
só se for pra todos

igualdade
só se for pra sempre

fraternidade
só se for agora

porque o ideal é sonhar acordado

e saber que o futuro

já passou da hora.

18.11.07

Coisas erradas

pneu furado
buraco na estrada
feriado chuvoso
fruta estragada
nome esquecido
resposta atrasada

coração partido

por perto
uma gargalhada

há coisas muito certas
outras
muito erradas

mas o certo
é que ambas
passado um tempo

não são mais nada.

14.11.07

Suavidade

minha idade
sua idade
namoro
ou
amizade?

minha idade
vaidade
leviandade
veleidade

amor
ou
maldade?

sigo o sussurro
do sexto sentido
sou cego sou surdo

sou

suavidade.

10.11.07

Dor

tô com dor
no braço
tô com dor
no abraço

tô com dor
mas passo
os dias

entre a dor

e o cansaço.

5.11.07

Deprê

depressivo persigo a tristeza
como um doce de festa sem comida
depressivo percebo o obstáculo
como a grande muralha da china

depressivo afasto a alegria
como se ela fosse
o sintoma
de uma mundana vida feliz

depressivo enfio o pé na lama
escorrego e caio
da cama
para mais um abençoado dia

de bis.

Sessão "que inveja" IV - Vladímir Maiakóvski

brilhar para sempre
brilhar como um farol
brilhar com brilho eterno
gente é pra brilhar
que tudo o mais vá pro inferno
este é o meu slogan
e o do sol


Tradução de Augusto de Campos
do poema de 1920, "A extraordinária aventura vivida
por Vladímir Maiakóvski no verão na datcha"

1.11.07

Mortinhos

não importa
tanto fez
tanto faz
um dia
descansaremos em paz

afinal
sempre chega
a hora
em que vivemos

demais.