30.6.08

Adiamento

adiou seus sonhos
para perto da morte
entregou-se à sorte
fez-se de forte
feixe de luz e sombra
carregou num ombro
todo o torto do mundo
andou sobre escombros
e caiu em si
tantas vezes quantas foram
necessárias
as possibilidades sempre são
várias
e invariavelmente levam
aos mesmos olhares
assombrou seus pares
colocando-se ímpar
nos piores
momentos-lugares

adiou seus sonhos
para perto da sorte
levou azar
é o esporte.

29.6.08

Pedro

tu és pedra
uma pedra que pesca
mas não peca
um pescado que pula
mas não canta
uma ceia que conta
mas não bebe
um babado que contam
mais de mil anos

pedro
tu és pedra
e a pedrada que deste
acertou em cheio.

22.6.08

Crise

nos momentos de crise
olhe onde pisa
passa
pensa

nos momentos de crise
veja quem é quem
alguém
ninguém

nos momentos de crise
sonhe com o futuro
escuro
claro

que tudo vai passar.

8.6.08

25 mil

visitantes
por acaso
por procura
por poesia pura

pura sorte
pura morte
poemas no cangote
língua na orelha
cera no ouvido

cada palavra
é um comprimido
uma dor espremida
na banda larga
da visita.

6.6.08

Jura

juro que é junho
e o jeito de junho
é jeca
juro

sonho que é seda
e a seita do santo
é seca
saco

canto que é caro
e o caco que cai
é coco
caído

finjo que é frio
e o frio que flui
é pura
frescura

saio

e o junho que jaz
é justo
junino.