31.10.09

Puxa

puxa puxa
o rabo da bruxa
o olho da cobra
o saco do velho

pisa pisa
o calo da velha
o rabo do gato
a cara do sapo

mata mata
o sono do justo
o silêncio do puro
o sossego da gente

hoje é dia de magia
e tudo que parece
no fundo
é diferente.

29.10.09

Acidente cerebral

na dúvida entre o sinal
aberto ou fechado
meu pobre poema
morreu atropelado

esquecido na pista
nem respira
coitado
se eu soubesse
ah se eu soubesse

nem tinha acordado.

27.10.09

Sinusite

sem cheiro
e sem paladar
a vida é de lascar

nada pra sentir
tudo só pra olhar

aliás
como é triste a visão
racional e sem noção
só nos leva aonde temos que ir
e só vamos quando dizem a hora
de partir

quero de volta meu cheirar
quero de volta meu gostar
afinal
quando?
essa sinusite vai passar?

21.10.09

15.10.09

15 de outubro

sim
sou professor

de porra nenhuma
e da coisa alguma

sim
sou professor

de artes secretas
que nem eu sei

sim
sou professor

de aulas achadas
em almas perdidas

sim
sou professor

me avisem quando termina o curso
e em que ano letivo o mundo começou.

9.10.09

Poema de plástico

pratico o som
e a percussão

faço poesia não

meus versos são de plástico
impermeáveis
às lágrimas
e à chuva de sentidos
que insistem em sentir

os outros são os outros
e vão

minhas palavras
são só sons
sonsas que são
fazem só ruídos
no silêncio da confusão

eu pecador me confesso:

nunca escrevi nada
que tivesse
a menor

intenção.

4.10.09

Devo ser um imbecil

mas essa semana
senti muito orgulho do brasil

orgulho do nosso presidente
orgulho de um futuro recente
orgulho de poder ser inocente

e ler números diferentes

devo ser um imbecil
um só?
não...
acho que já somos milhões
de imbecis

a construir muitos novos brasis

com o perdão dos descontentes
a coragem dos ignorantes
a esperança quase indecente

peço desculpas por me sentir feliz
como nunca antes nesse país...