16.4.11

Em paz

só existe sentido em escrever
para si mesmo
ou para o meu siamês
que me olha
vesgo
pois não importa quantos
sejam tantos
em sua rede social
é natural que só exista
em sua imensa
lista
seu único
e solidário
próprio
e-mail.

1.4.11

Acordo com o repentino barulho do meu acordar. Sei que estou totalmente morto, mas o relógio digital colocado à direita de meu ouvido, bem ao lado das fotos de mulher e filhos, me deixa em dúvida. Estranho muito também o vidro de homeopatia que não tomo mais. Além de óculos indispostos sobre um anel de prata.

E morto precisa de despertador? Defunto leva consigo retratos de família, bolinhas brancas, enfeite de dedo e objetos de leitura? Ah, devo ser um faraó moderno, desses que vão para o túmulo com mochilas da Wilson.

Dura, muito dura é a morte. Ainda mais quando você descobre que deixou em outra vida o seu pendrive.