24.5.08

Adeus Brutos...

Hoje não tenho vontade de fazer poesia. É véspera de meu 49º aniversário e acabo de perder um amigo de quatro patas e coração gigante: Brutos, nosso boxer de 10 anos de idade. Ele fez a última gentileza de morrer dormindo, alegre e tranqüilo como sempre viveu.

Animal dito irracional, morreu deixando em mim uma tristeza que não compreendo. Deve ser o sintoma de alguma patologia dessas que só os humanos e racionais conseguem ter. Deve ser a dor de uma perda que lembra outras - passadas, presentes e que ainda estão por vir. Deve.

Mas Brutos não nos deve nada. Foi embora levando com ele toda a doçura que seu nome nem sugeria, toda a graça que só quem o conheceu teve o prazer de desfrutar.

Foi embora porque até Deus, esse racional superior, às vezes precisa de um bom cachorro. Eles fazem a vida ficar mais simples, e a de Deus, coitado, deve ser muito complicada.

E aqui fico eu muito triste em pleno aniversário. Parece que, por todos os motivos lógicos desse mundo, ainda tenho coisas importantes a fazer na vida.

Pelo menos até o dia em Deus precise de um cara complicado para fazer companhia ao seu cão simples e engraçado.

Obrigado Brutos, até sempre.

2 comentários:

Tião Martins disse...

Essa não tem comentário. Só quero que o céu faça festa pra ele.

Ariadne A... disse...

Lamento muito.
Bjinhos