Pular para o conteúdo principal

Adeus Brutos...

Hoje não tenho vontade de fazer poesia. É véspera de meu 49º aniversário e acabo de perder um amigo de quatro patas e coração gigante: Brutos, nosso boxer de 10 anos de idade. Ele fez a última gentileza de morrer dormindo, alegre e tranqüilo como sempre viveu.

Animal dito irracional, morreu deixando em mim uma tristeza que não compreendo. Deve ser o sintoma de alguma patologia dessas que só os humanos e racionais conseguem ter. Deve ser a dor de uma perda que lembra outras - passadas, presentes e que ainda estão por vir. Deve.

Mas Brutos não nos deve nada. Foi embora levando com ele toda a doçura que seu nome nem sugeria, toda a graça que só quem o conheceu teve o prazer de desfrutar.

Foi embora porque até Deus, esse racional superior, às vezes precisa de um bom cachorro. Eles fazem a vida ficar mais simples, e a de Deus, coitado, deve ser muito complicada.

E aqui fico eu muito triste em pleno aniversário. Parece que, por todos os motivos lógicos desse mundo, ainda tenho coisas importantes a fazer na vida.

Pelo menos até o dia em Deus precise de um cara complicado para fazer companhia ao seu cão simples e engraçado.

Obrigado Brutos, até sempre.

Comentários

Tião Martins disse…
Essa não tem comentário. Só quero que o céu faça festa pra ele.
Ariadne A... disse…
Lamento muito.
Bjinhos

Postagens mais visitadas deste blog

Tiradentes

joaquim josé da silva xavier
foi pro tudo ou nada
foi pro que desse e viesse
foi apresentado ao laço
foi dividido em pedaços
espalhado
dispersado
como a consciência nacional

mas não fizeste mal
joaquim

cortaste um dobrado
mas ganhaste um feriado
que se por ti não foi gozado
é por nós aproveitado

tenho dito
e obrigado.

Poema biscoito

somos farinha
do mesmo saco
irmãos na mordida
no farelo
no tasco.