5.12.11

Constatação

não sou alegre
nem sou triste
nem poeta

sou
aquele careca
que a bosta do pardal

acerta.

30.11.11

A los hermanos

um boi nos ares
nas mesas de jantares
românticos pesares
de um povo muy rico
a sós
ou
em seus incontáveis
pares.

28.10.11

A falta que uma letra faz



a letra _ d_ meu teclad_
pul_u
f_i pra casa d_
caralh_
e assim eu percebi
finalmente eu entendi
a imp_rtância dessa v_gal
que cum sua cara de cu
faz falta pra cacete
a esse p_eta
desqualificad_.

12.10.11

Dia da infância

criança é aquele lugar
que não se cansa
de restar alegre
mesmo quando a vida
balança

criança é aquele humor
que te alcança
e não se perde
mesmo sem dentes
lembrança

criança é aquele chorar
que sempre avança
brinca de esconde
mesmo de máscara
lambança

criança é aquele lembrar
que não adianta
fingir de adulto
é mesmo um insulto
à infância.

30.9.11

pan e peter

uma flauta
flui ao longe
desafina a noite
de rock nas estrelas
lembrança sinuosa seu som
cremoso
derrete feito manteiga
no meu cérebro de pão de fôrma.

7.9.11

Independente day

dei um basta nos estados
unidos
do brasil
independente é o diferente
discordante
incendiante
do relevo relevante
ao plano reto da planície
do calo seco do sertão
ao caule alto verdejante

dei um basta
dou um fico
na terra em que gol é gol
seja de letra
ou de bico.

16.7.11

A arte da guerra

diante da injustiça
ninguém pode ficar calado
dormir em paz
olhar pro outro lado

diante da injustiça
há que se ter olhar afiado
dar brilho às lâminas

e enfiar até o cabo.

13.6.11

Livre de mim só eu mesmo

eu sou livre
pra ver tudo que eu não vi
pra ser tudo que eu não sou
e sair por aí
porque
i am free
do início do fonseca
até o final da praia de icaraí.

25.5.11

Muito sério

morri
e descobri
a solução
de todo o mistério


não existe nada
absolutamente nada
do outro lado
desse nosso império.

23.5.11

Superfície

não sou mesmo
muito dado
a um pensamento



profundo




prefiro ser rápido e rasteiro como a vida que levamos neste mundo.

21.5.11

Limpeza

acho as rimas
coisas
de extrema serventia
com elas
limpo o limo
das paredes 
de todo dia.

16.4.11

Em paz

só existe sentido em escrever
para si mesmo
ou para o meu siamês
que me olha
vesgo
pois não importa quantos
sejam tantos
em sua rede social
é natural que só exista
em sua imensa
lista
seu único
e solidário
próprio
e-mail.

1.4.11

Acordo com o repentino barulho do meu acordar. Sei que estou totalmente morto, mas o relógio digital colocado à direita de meu ouvido, bem ao lado das fotos de mulher e filhos, me deixa em dúvida. Estranho muito também o vidro de homeopatia que não tomo mais. Além de óculos indispostos sobre um anel de prata.

E morto precisa de despertador? Defunto leva consigo retratos de família, bolinhas brancas, enfeite de dedo e objetos de leitura? Ah, devo ser um faraó moderno, desses que vão para o túmulo com mochilas da Wilson.

Dura, muito dura é a morte. Ainda mais quando você descobre que deixou em outra vida o seu pendrive.

4.3.11

Moedinha



a poesia
não tem
autoria
deve

ou devia

ser
os juros
que pagamos
pela dívida
bruta
do dia-a-dia.

21.2.11

Cronômetro

cada tracinho
de tempo
tem um traço
de tensão
basta um segundo
meio, deci, mile
pra acabar
com essa
imensidão.

31.1.11

Dona aranha

um dia
um mês
uma eternidade


a gente a[r]ma uma teia


e ainda acredita
na liberdade.

25.1.11

Dislexo



como fazer música
com as palavras
se estas insistem
em ter um significado
preciso
não eu não preciso
que vocês digam nada
nem me façam o favor
de siginificar algo
pra mim

palavras

vocês serão meu fim
e não estou a fim
de morrer
por vocês.

19.1.11

Ligeirinho

é evidente
que a inteligência
não é tudo
é só um sobretudo
que a filosofia coloca
sobre a nossa biologia


não importa o que digam
nossos avós
há sempre um menino
correndo
dentro de nós.

10.1.11

Mar de rosas



se a sua vida não é um mar de rosas
tente os cravos
petúnias
begôneas
só não tenha vergonha
de falar com o florista
peça
insista
porque sempre há uma flor
uma cor
uma textura
uma pétala
mais dura
que combina com sua sina
nesse imenso
jardim.