Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017

Puta poema

fico muito puto
quando penso
um poema
e a preguiça
o desleixo
a falta
de sistema
acha que não vale a pena não anota
não decora
não acena ao contrário
fecha a barraca
mete o galho
dentro
recolhe a antena fico de luto
quando morre
um poema
assim sem nascer
sem crescer
sem ser solução
nem problema pobres poemas mortos
antes de encarnar
e terem corpos
atores tortos
sem papel
sem tema
são meus abortos
meus esgotos merdas
que eu não fiz
nem pra provar
que minha alma era pequena.

Minha mãe

minha mãe
tinha um jeito
esquisito
de dizer
que me amava flutuava entre o amor
irrestrito
e o terror
aflito fui filho
querido
fui monstro
bandido que bom
que ficou
especialmente
aquilo
ao que não dei ouvido.

Sanduíche

e lá vem chegando
o aniversário
do meu filho
que por um acaso
é na véspera
do de minha
mãe que já morreu fico entre a saudade
de duas infâncias
e a dúvida
sorrateira
se a vida
é mesmo
rápida ou o lento sou eu.

Canários

somos todos
canários
cantando
solitários
nas gaiolas o que varia? as grades e suas bitolas.

Salinas

entrementes
nos déssemos bem
com o tempo
e as mudanças
do firmamento
entrecorpos
nos demos mal foi natural
foi normal
foi elemental onde falta
açúcar sobra só o sal.