30.9.11

pan e peter

uma flauta
flui ao longe
desafina a noite
de rock nas estrelas
lembrança sinuosa seu som
cremoso
derrete feito manteiga
no meu cérebro de pão de fôrma.

2 comentários:

Tião Martins disse...

Viver na flauta...

valéria tarelho disse...

butter pão :)

é isso aí Sebá, antes na flauta que na falta.

beijo!