30.12.12

Sopro

invento um vento
onde a folha
não balança

não vejo coisas

sopro esperança.

Nenhum comentário: