31.12.14

EU VOU

vem 2015
vem
vem quente
que eu estou
querendo
ver luzes
ver sombras
ver sambas
vem 2015
vem
vem que se você não vier
eu vou.


20.12.14

Encarnação

morreu
por abuso
e excesso
de uso
da vida
sua alma
descabida
nunca coube
na carcaça
a ele
concedida
morreu
para viver
outra vida
mais ampla
ex pan di da.


17.12.14

Há gosto para tudo

se ela gosta
de lagosta
ele gosta
de agosto
e os dois
se desgostam
nesse gosto
de esgoto
o amor
é uma inesgotável fonte de [desgostesas].


Mensalidade

há um mês
você se foi
acenando
para a saudade
que não tem idade
nem mensalidade
e ainda ataca
de surpresa
no meio
da névoa
que apelidamos de realidade.


13.12.14

Ressaca

a noite chega
feito um mar escuro
esfregando sonhos
contra o muro.

Filosofito

um mosquito
encontra
um periquito
e pergunta
por que você
é tão bonito
e eu tão esquisito?
porque o universo
é infinito
e hoje quem é
mosquito
amanhã será
lindo
periquito
não sei
se concordo
com isso
se discordo
ou
meteorito
fica o dito
pelo não escrito.


11.12.14

Pé de mulher

queria fazer
algo tão bonito
só para você
um poema
uma boa ação
um bom-bocado
uma canção
queria fazer
algo nada esquisito
só para você
um trato
um afago
um abraço
uma afeição
queria ser
algo que não sou
só para você
um pato
um gato
um panda
um sapato
só para você
calçar
e sair por aí.

Nossa vez

talvez
estejamos sós
em nosso pequeno
universo
talvez
todos os poemas
só devessem
ter um verso
talvez
seja a única
palavra
que defina
o que é certo.


8.12.14

Molduras

coloquei
duas pequenas
fotos dos meus filhos
na mesinha de cabeceira
bobagem
besteira
eles cresceram
tanto
que não cabem
na moldura
da minha saudade
sem fronteira.

7.12.14

Cães

somos os dois cachorros
negros
um é macho
o outro é fêmea
vagamos pela rua
somos sombra e medo
sombra do que sonhamos
medo dos humanos que encontramos
somos os dois cachorros
negros
cruzamos a rua
correndo perigo
entre carros
que não respeitam
nosso vício
de morrer
cruzamos na rua
trepando de medo
entre escárnios
que não aceitam
nossa fome
de viver
somos dois cachorros
negros
como a vida insiste em ser.

4.12.14

Alta costura

abraço
seu corpo nu
como se nunca
houvesse outro abraço
meu corpo
completamente vestido
mistura tecidos
costura sua pele
sua nuca
é minha nuca
e nem a morte
nos separa.

Contador

aos poucos
bem aos poucos mesmo
[lá se vão 55 anos]
vou aprendendo
o valor das coisas:
dinheiro vale poder
beleza vale querer
saúde vale viver
amigos?
ah
amigos não têm valor
são bem incalculável
têm cheiro
têm gosto
têm cor
cheiro de eternidade
gosto de felicidade
cor de amor.

2.12.14

Para Bolaños

sem querer
querendo
fui assistindo
fui vendo
aos poucos
sorrindo
depois
gargalhando
sem querer
curtindo
sem querer
amando
isso
isso
isso
a chave
do chaves
é a mesmice
de conhecer
a criancice
que nunca morre
em nós.