20.3.17

Puta poema

fico muito puto
quando penso
um poema
e a preguiça
o desleixo
a falta
de sistema
acha que não vale
a pena
não anota
não decora
não acena
ao contrário
fecha a barraca
mete o galho
dentro
recolhe
a antena
fico de luto
quando morre
um poema
assim sem nascer
sem crescer
sem ser solução
nem problema
pobres poemas mortos
antes de encarnar
e terem corpos
atores tortos
sem papel
sem tema
são meus abortos
meus esgotos
merdas
que eu não fiz
nem pra provar
que minha alma
era pequena.

2 comentários:

Nadine Granad disse...

Do emputecimento (haha) nasceu um poema!
Adorei a metalinguagem, as palavras tão bem escolhidas!...

Beijos =)

Tião Martins disse...

Obrigado Nadine,rs, beijos!