4.9.09

Assalto

outro dia
fui assaltado

sobressalto na rua
bandido pra todo lado

sub uzi no peito
aberto e acelerado

levaram dinheiro
cartões e documentos

abracei minha mulher
o carro saiu varado

os dois ali
parados

fui chamado de coroa
na boa

fiquei bolado
mas não há de ser nada

pensei
sou vacinado

vivo no rio
já vi de tudo

sou do ramo
tô liberado

atiro palavras
disparo teclado

não fode mané como é que é que esse corpo continua fechado?

4 comentários:

Tião Martins disse...

Escapei de boa... ahahahahahha

Ana Helena Tavares disse...

Tava com saudade de ler seus poemas... É bom lembrar que o trágico pode virar poesia...
Beijão.

Cris Carnaval disse...

só te digo uma coisa... se vc morrer,eu te mato! simples assim. e estamos conversados!

Marcela disse...

HUAhuaahuahauahu!
Como sempre, muito bom!!
Beijoss