28.11.15

Tragédia

a dor
desce pelo peito
embrulha o estômago
não tem jeito
o medo
que reveste a alegria
deixa de ser
só receio
a perda
nossa inevitável sina
assassina sonhos
e desejos
o fim
não é o início
de nada
é só o fim
mesmo.

Nenhum comentário: