11.3.07

Baião de dois

a vida
é pra nós dois
somos feijão com arroz
eu te como
você me come

depois

tomamos café
vivemos com fé
olhamos pro pé
pedimos perdão
porque a vida

é pra depois

somos baião de dois
sem ritmo
só feijão com arroz.

8 comentários:

Tião Martins disse...

Olha a hora do almoço! Todo mundo comendo, todo mundo bebendo, todo mundo vivendo. Todomundodandoesedoando.

Anônimo disse...

Todomundodandoesedoando?
Nossa que suruba essa aí hein?
Mas o prato pricipal foi o que hein?
Rsrs

Bia disse...

Feijão com arroz ou baião de dois??? Porque há uma diferença... e como há!!! Enfim, que sejam os dois.... ou nenhum!!! Nem tô com fome mesmo!!!! Aliás, andei engordando e preciso perder esses quilinhos.... portanto, nenhum dos dois!!!

Bjooosss!!!!! (pq bjo não engorda)

Tião Martins disse...

Pois é Bia, baião de dois é um feijão com arroz com ritmo. E ritmo é tudo nessa vida.
Quanto ao beijo, realmente não engorda. Se for só beijo... rs!
Vc gorda? Isso eu quero ver...

Ariadne Aline... disse...

E já que é baião de dois,resolvi misturar isso tudo aí pra ver como é que fica...
Adorei dois de baião!
Ou seria baião de dois?
huahuahuahua

Somos baião de dois
sem ritmo
só feijão com arroz.

Tomamos café
vivemos com fé
olhamos pro pé
pedimos perdão
porque a vida
é pra depois.

E já que a vida
é pra nós dois
somos feijão com arroz
eu te como
e você me come
depois.

Viu tb como eu sou uma poeteira? É, nós possui a arte de poetar!
Bjão gde!

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

Sebá, você certamente entraria para a minha sessão "que inveja" caso eu tivesse uma.
Sua amiga aqui ficou um tempaço sem computador, voltei das trevas na semana passada e agora tenho que correr atrás do prejuízo...vou agora mesmo me atualizar em sua "poesia & cia".

Beijo saudoso!

Léria

Tião Martins disse...

Léria, que bom que vc voltou. A poesia e os amigos estavam sentindo a sua falta. Vc está na sessão "que inveja" de todos que amam a boa literatura.

Beijos.

Caroline Monlleo disse...

Ai, que fominha fiquei agora. Rs.
Mas fominha de amar, de me apaixonar. Às vezes faz falta né? Mas creio que a paixão seja um tempero e se não há comida, ele vai ficando pra lá...de lado no canto da prateleira. Enfim, gostei da poesia, singela, consisa e doce (apesar do feijão e do arroz!Rs).

Bjinhus & carpe diem:(:)